O Regional Sul

maio 18, 2024

Alerta: ‘super El Niño’ pode ser o pior fenômeno de todos os tempos

O fenômeno El Niño de 2023 pode ser o pior fenômeno de todos os tempos, segundo as previsões do Bureau de Meteorologia da Austrália. A agência internacional emitiu um alerta no último dia 6 chamando o fenômeno de “super El Niño”.

A agência explica que o El Niño trará mudanças no Oceano Pacífico tropical que afetam o clima global.

Durante o fenômeno, a Bureau prevê que há uma chance maior de clima mais seco e é mais provável que seja mais quente do que o normal.

De acordo com a previsão, ao longo do equador, fortes ventos alísios de leste a sudeste fazem com que as correntes oceânicas no Pacífico oriental atraiam água do oceano mais profundo para a superfície, ajudando a manter a superfície fria.

O Oceano Pacífico equatorial pode esquentar cerca de 3°C no mês de outubro e 3,2°C em novembro.

Sendo assim, as águas no Pacífico equatorial ocidental são capazes de aquecer de forma mais eficaz sob a influência do sol tropical. Isso significa que, em condições “normais”, o Pacífico tropical ocidental é 8°C a 10°C mais quente que o Pacífico tropical oriental. Enquanto a superfície do oceano ao norte e nordeste é tipicamente de 28°C a 30°C ou mais quente, na América do Sul, o Oceano Pacífico está perto de 20°C.

Essas áreas mais quentes do oceano, que incluem a América do Sul, trazem mais chuvas, de acordo com a previsão.

 

Santa Catarina e o El Niño

A boa notícia é que em Santa Catarina, de acordo com o meteorologista Piter Scheuer, o El Niño vai influenciar nas temperaturas do inverno, mas não será “nada afetada” por qualquer outro fenômeno que não seja comum no Estado.

O Epagri/Ciram (Centro de Informações de Recursos Ambientais e de Hidrometeorologia de Santa Catarina) tem o mesmo entendimento e disse que esse efeito não tem relação com  Santa Catarina.

Já a Defesa Civil de Santa Catarina aponta que nos meses de julho e agosto, a tendência é de chuva dentro a acima da média. Nestes meses, o fenômeno El Niño já poderá influenciar no regime da precipitação no Estado.

“Porém, isto não exclui a chance de episódios de frio intenso, com ocorrência de geadas e precipitação invernal. É importante ressaltar que os eventos de frio devem ocorrer, mas não serão duradouros”, explica em seu site oficial a Defesa Civil.

 

Fonte: Nd+

Relacionados